Sondagem à percussão

A sigla SPT tem origem no inglês (standard penetration test) e significa ensaio de penetração padrão. O ensaio SPT é executado a cada metro de profundidade do subsolo em estudo, e consiste na cravação de um amostrador padronizado no solo, através da queda de um peso de 65kg totalmente livre a uma altura de 75cm, divide-se o amostrador em 3 segmentos de 15 cm e anota-se o número de golpes necessários para a cravação de cada segmento. Após a realização do ensaio SPT, o amostrador é aberto e retira-se uma amostra representativa do solo, essa amostra é acondicionada em saco plástico próprio e etiquetada para ser encaminhada ao laboratório, geólogo ou engenheiro civil, que fará a descrição táctil-visual e a classificação do material encontrado, determinando o perfil estratigráfico do solo.

Através do ensaio SPT é obtido o índice de resistência à penetração do solo, que de acordo com o definido por Terzaghi-Peck (Soil Mechanics in Engineering Practice) é a soma do numero de golpes necessários a cravação no solo dos 30 cm finais do amostrador.

Você arriscaria sua construção por uma economia em torno de 0.2 % do valor da obra?

Não fazer as sondagens do terreno a construir, considero a mais insanas e irresponsável das economias.

Parece incrível, mas muitos dos investidores e construtores fizeram e  fazem isto, após este ato insano, eles nos procuram para fazer laudos e análises das patologias ocorridas em suas obras (por defeitos, trincas, rachaduras, recalques, afundamentos), afim de dar direcionamentos para as correções necessárias, e evitar os possíveis processos na justiça e maiores prejuízos.

Eles quiseram economizar…e fizeram a mais insana economia, e, suas alegações normalmente são estas:- O terreno era bom, meu empreiteiro já fez várias obras perto daqui, disse que não precisava;- Meu engenheiro reconheceu o solo e diz que ele suporta a obra, e não pediu a sondagem; – A obra é muito simples não vale a pena fazer, é só um sobradinho;- Eu já fiz outras semelhantes a esta e nunca tive problema algum.

Um dia a casa cai, como se fala no ambiente profissional.

Uma sondagem custa em torno de 0,20 % da obra, então numa obra de R$ 1.000.000,00, você gasta R$ 2.000,00, só isto, vai garantir a partida para um ótimo projeto de fundações, evitará o comprometimento total ou parcialmente da obra, garante também a prova em processos judiciais e o mais importante, evitará a difamação do seu nome.

A sondagem é uma análise laboratorial das amostras de solos retiradas no local da obra através de métodos e critérios orientados pela Norma Brasileira NBR 6122. Ela trará as informações necessárias do subsolo, seu suporte de penetração, sua resistência, tipo de solo (argila, silte…) o nível do lençol de água, etc. Estas são informações importantíssimas e básicas para o engenheiro calculista fazer o correto dimensionamento das fundações ou projeto das fundações (o que fica para debaixo da terra).

A falta da execução da sondagem para investigação do terreno é o primeiro passo para transformar sua obra num grande problema, em algumas vezes, será tão alto os custos para os reparos e recuperações que podem chegar até centenas de vezes o valor da sondagem.

Algumas orientações básicas para você que está investido ou desejando investir em prédios a preços de custo ou não, cuidado, verifique se a empresa ou se o seu construtor fez as devidas sondagens, peça o relatório acompanhado da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) emitida pela empresa, que elaborou a sondagem, através do CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia). O ART é um dos únicos documentos que legitima e responsabiliza a empresa e ou o profissional diante da sociedade civil, do seu conselho, e é muito exigida em demandas judiciais, sendo obrigatório sua emissão.

Ao construir observe sempre isto: Engenharia não se faz com suposições e sim com procedimentos e técnicas normatizadas pelas NBRs; não existe uma fundação correta se não existir uma sondagem bem feita; é possível construir em qualquer solo, basta fazer uma boa sondagem; bons e experientes empreiteiros/engenheiros, nem sempre, respondem na mesma proporção com a responsabilidade diante dos altos prejuízos que o investidor tem para arcar pela falta da sondagem.

 

A economia gerada ao não se fazer uma sondagem é muito pequena, não vale o risco.